quatro-tecnologia

Tecnologia e Inovação: Florianópolis é um celeiro de iniciativas de alto potencial

Postado em fev 2, 2016 em Vida

Praias paradisíacas, História e cultura ricas, contato com a natureza e muito agito. Florianópolis muitas vezes é lembrada por suas características naturais e pelo povo, que mostram o quão incrível é a capital. Mas a Ilha da magia tem outros fatores que atraem a atenção de pessoas de todo o Brasil e do mundo. Um desses fatores, e talvez o mais interessante para a dinâmica da cidade, é o alto valor do polo de tecnologia da região.

Empresas qualificadas e repletas de vontade de crescer: eis o cenário atual para essa área do desenvolvimento.

O perfil econômico de Florianópolis vem se renovando ultimamente. A capital Catarinense não possui grandes indústrias, então encontrou na tecnologia a forma de ganhar crescimento, valorização e notoriedade perante o mercado nacional e internacional.

A tecnologia da informação e comunicação se encaixa com as características da cidade, já que respeita o meio ambiente da Ilha que muito tem a prezar por isso, e trouxe a oportunidade de desenvolvimento local.

A base financeira está estruturada nesse segmento, que é o que mais fatura e retorna em Imposto Sobre Serviços no município. Por consequência dessa força, o setor também impulsiona outras áreas da economia como a construção civil, serviços e o turismo.

O destaque das cidade no ramo também está sustentado nas incubadoras e ambientes tecnológicos como a MIDI e a CELTA, incubadoras consideradas pela ANPROTEC (Associação Nacional de Parques e Incubadoras) as melhores do Brasil, e os parques Alpha e Sapiens Parque que reúnem iniciativas de muita qualidade e potencial.

Enquanto a nível nacional os índices estão mostrando quedas e crises, o setor de TIC (tecnologia da informação e comunicação) de Santa Catarina cresceu 15% em 2015, segundo a ACATE (Associação Catarinense de Empresas de Tecnologia). Esses valores são bem expressivos e animadores para quem pretende investir na região.

Os caminhos são favoráveis para o empreendedorismo tecnológico

O polo tecnológico abrange a grande Florianópolis e é composto por empresas de pequeno e médio porte, em sua maioria de softwares, mas destaca-se o âmbito de equipamentos de alto valor agregado e hardwares.

O ensino e a pesquisa da região estão centrados na Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), que é a principal entidade de formação de boa parte da mão de obra especializada, tendo cursos bem reconhecidos pelo MEC nas áreas de Engenharias, Ciências da Computação e Sistemas da Informação. A pós graduação e especialização contribuem na formação de novos profissionais e reforço criacional para as empresas do polo tecnológico.

Busca por profissionais qualificados

Esse crescimento não é de hoje. A capital catarinense encontra na tecnologia um pilar de grande sustendo que vem se desenvolvendo há mais de uma década. Em relação a muitos outros lugares do Brasil, a economia do setor da TIC (tecnologia de informação e comunicação) florianopolitano tem dado saltos e ruma a se consolidar como polo de inovação no país.

Parte disso é de responsabilidade do planejamento e noção de que seria preciso investimentos para oferecer boa formação na área. Florianópolis atrai muitos estudantes de todo o Brasil em busca de qualificação profissional principalmente nas áreas tecnológicas, já que a cidade se tornou referência em fornecer qualificação para todas as fases da carreira.

São diversas iniciativas que trabalham impulsionando a inovação em Florianópolis. Muitas delas fazem projetos e abrem vagas para encontrar mão de obra qualificada, fazendo da cidade um ótimo local para receber profissionais que tenham expectativas de crescerem junto com as empresas.

Inovação: a chave do crescimento

Em 2015, o ranking da Endeavor mostrou que Florianópolis é o segundo município mais empreendedor do Brasil. O capital humano e a inovação da cidade são os principais responsáveis por essa colocação. Mesmo sendo uma cidade pequena perto de outras potências nacionais, os quesitos superam o tamanho e dão força à tecnologia catarinense.

Uma dessas iniciativas está dentro do Plano de trabalho da Secretaria municipal de Ciência, Tecnologia e Desenvolvimento, que intitulou  Florianópolis como a capital da Inovação, e esse posicionamento tem o objetivo de criar uma identidade que demonstre o potencial e a capacidade de obtenção de resultados das instituições do município.

A ideia mostra que Floripa nada mais é do que um celeiro de iniciativas tecnológicas propiciadas pelas empresas da base, mas que também contam com as outras atividades da região como a maricultura e o turismo, que utilizam de sistemas e ideias para desenvolverem os seus projetos.

Fortalecendo os atores estratégicos, as ações do plano de Inovação buscam atrair talentos e capacitá-los para garantir a permanência das empresas na cidade.

Confira alguns dados que justificam e fidelizam o título e a busca por inovação:

  • São mais de 600 empresas de tecnologia
  • 15 centros universitários
  • Quatro fundos venture capital
  • A Escola Brasileira de Administração Pública afirma que é a oitava melhor cidade para um profissional fazer carreira
  • Segundo o Newsweek, é uma das 10 cidades mais dinâmicas do mundo
  • Primeira capital em inclusão digital
  • Dez institutos de pesquisa e desenvolvimento
  • Entre as dez melhores cidades para trabalhar e para fazer negócios
  • Melhor capital em qualidade de vida

Todas essas características profissionais do mercado tecnológico da capital catarinense já seriam motivos suficientes para entendermos a vinda de pessoas qualificadas em busca dessas diversas oportunidades. Atrelado a isso, a ilha ainda encanta a todos com as suas belezas naturais e índices de qualidade de vida que fazem tudo ter uma sintonia perfeita.

A tendência do mercado é que essa área cresça e que cada vez mais busque essa qualificação profissional em pessoas dispostas a buscar campos internacionais e desafios.

Por mais que o PIB seja pequeno por conta do tamanho da cidade, tudo isso mostra que ela realmente tem –e muito– valor.